Depois de começar nossa vida nômade na Serra Gaúcha, chegou a hora de uma nova aventura. Dessa vez, cruzamos nossa primeira fronteira de carro, então tinha um friozinho na barriga a mais. Hoje vou contar um pouco como foi a experiência, e farei um post separado com as dicas para quem quer viajar de carro para o Uruguai ou outros países do Mercosul.

Claro que gravei um vlog no dia, e deixo aqui para quem prefere ver em vídeo, mas todo o relato está abaixo também.

Saímos de Gramado no dia 23/06, um sábado, bem cedo, pois queríamos chegar na fronteira ainda com a luz do dia. Pode parece bobeira, mas eu estava um pouco tensa com isso e parece que o fato de ser dia me dava menos ansiedade rs. O tempo era apertado, pois eram cerca de 630 km até a fonteira, e nós vamos bem tranquilos e parando bastante, até mesmo por causa do Léo.

O caminho estava bem tranquilo e o clima também. Saímos com um dia lindo de sol, pegamos uns chuviscos mais tarde, mas bem rapidamente. O caminho até Porto Alegre e até um tempo depois de Poá é ótimo, as estradas muito boas. Quando vamos chegando mais para o final do Rio Grande do Sul as estradas são mais simples, ainda sem duplicações (mas uma boa parte em obras para duplicar).

No finzinho do estado, as cidadezinhas são bem pequenas, e fica difícil encontrar posto de gasolina, restaurantes e tudo mais, então é bom se preparar para isso. Mas o caminho é todo muito bonito! Chegando em Chuí tem bastante posto, e muitas placas de carta verde também, embora acho legal já ter resolvido isso antes, mas falarei sobre isso no outro post.

Antes de passar na fronteira, passamos pelo posto Receita Federal brasileira. Tem um desvio obrigatório na estrada, e todos passamos por ela. Não é preciso parar obrigatoriamente, só passar devagar. Imagino que eles parem algumas pessoas de foma aleatória, mas não vi ninguém sendo parado quando passamos.

Logo na sequência vem as placas da fronteira, e claro que nós paramos para fazer nosso registro né? Não é todo dia que cruzamos a fronteira, ainda mais de carro e com o Léo junto! Aliás, primeira viagem internacional dele.

E um pouco depois tem a aduana. Chegando lá, é preciso apresentar os documentos das pessoas, do veículo e a carta verde. Nós fizemos documentação para o Léo também, pois é obrigatório tirar o CVI para viagem internacional com cachorro (farei um post explicando também), mas não pediram. A pessoa olhou rapidamente e logo nos liberou, foi super tranquilo!

Passando a aduana, seguimos pela estrada uruguaia até Punta del Este. A estrada é muito boa, muito tranquilo também. Novamente, as cidades que ficam próximas à fronteira são bem pequenas, não tem posto nem nada na estrada, então se programe para isso também.

Até Punta del Este foram mais de 200 km e tem apenas um pedágio, de $U 95 pesos (cerca de R$13,00). Chegamos já à noite e bem cansados, mas em breve falarei de Punta del Este, que nós amamos!